Governo Provincial da Lunda-Norte
Governo

Centralidade do Dundo será inaugurada em Novembro

Os mais de cinco mil apartamentos da centralidade do Dundo, serão inaugurados no âmbito das comemorações do 40º aniversário da independência nacional.

O governador provincial da Lunda Norte, Ernesto Muangala, anunciou neste sábado, 22, que uma equipa da empresa Imogestin desloca-se esta semana ao Dundo para iniciar o processo de comercialização dos 5.004 apartamentos da centralidade do Dundo.

O governador provincial da Lunda Norte, Ernesto Muangala, anunciou neste sábado, 22, que uma equipa da empresa Imogestin desloca-se esta semana ao Dundo para iniciar o processo de comercialização dos 5.004 apartamentos da centralidade do Dundo.

Em declarações à imprensa, no final de uma jornada de campo que teve como objectivo verificar a execução física das obras em curso na nova cidade do Dundo, principalmente as inseridas no programa de inaugurações do 40º aniversário da Independência Nacional, Ernesto Muangala salientou que o Governo Provincial já fez a sua parte.

“A Lunda Norte apresentou à Comissão Nacional Preparatória do 40º Aniversário da Independência Nacional a inauguração dos 5.004 apartamentos da centralidade do Dundo, que em princípio, até Setembro, começam a ser habitados, pois o Governo Provincial já fez a sua parte”, frisou.

Ernesto Muangala explicou também que o Governo Provincial da Lunda Norte, em coordenação com a Imogestin, empresa responsável pela gestão das centralidades construídas pelo Executivo, no âmbito do programa de fomento habitacional, já trabalhou na atribuição de quotas percentuais para a venda das casas.

“O Governo Provincial e a Imogestin já decidiram a atribuição das quotas em termos de percentagem para a comercialização dos apartamentos a todos os organismos públicos do Governo Provincial, administrações municipais e distritais com um total de 40 porcento, juventude com 30 porcento e 30 para venda livre”, assegurou Ernesto Muangala.

A nova centralidade do Dundo, que começou a ser construída em 2009, está implantada numa área de 116 hectares e compreende 419 edifícios de 18, 11, nove e cinco pisos. Os apartamentos são do tipo T3, T4 e T5 e, em termos gerais, a cidade pode receber cerca de 30 mil famílias.

Além de promover o acesso a uma habitação condigna, a centralidade foi projectada com a finalidade de dar corpo ao processo de urbanização da cidade capital da província da Lunda Norte.

Jornal de Angola

Galeria de Imagens